O passeio dos triglicerídios e do colesterol pelo corpo humano

Um pouco mais sobre as gorduras.

As gorduras da dieta são primariamente triglicerídeos de ácidos gordurosos ácidos graxos de cadeia longa, ou seja, com muitos carbonos (ácidos, mirístico, palmítico, esteárico, palmítico, oleico).

Os glicerídeos (mistura de ácido graxos com glicerol) não são absorvidos de forma intacta pelo intestino. Sob a ação da lipase pancreática, são inicialmente hidrolisadas em monoglicerídeos de ácidos gordurosos livres. Havendo descontrole pode-se levar a impotência sexual.

Aproximadamente 90% da gordura ingerida sofre ação desta Hidrólise (quebra de uma substância e adição do radical o h do hidrogênio da molécula da água nas metades restantes).

Os monoglicerídeos e os ácidos gordurosos, produtos da hidrólise Inicial, são insolúveis em água, e como tal não podem ser absorvidos pelo intestino. Para tanto preciso da ajuda solubilizante dos sais biliares, que os transformam nas micelas, formas moleculares solúveis de lipídeos, prontas quimicamente para serem captadas pelo tubo digestivo.

Uma vez dentro da membrana do intestino, esses lipídios são agrupados por várias enzimas celulares, gerando se novamente os triglicerídeos estes triglicerídeos. Por sua vez, só podem deixar o intestino se devidamente envoltos em uma nova forma molecular, chamada de quilomícron.

Triglicerídios de cadeias curta e média

São gorduras formadas por ácidos gordurosos com menos de 12 carbonos em suas cadeias moleculares. Esses triglicerídeos de cadeia curta média não sofrem ação fragmentadora da lipase pancreática e não preciso transformar se em células para serem absorvidos. São captados como ácidos gordurosos diretamente pelo sangue da veia porta, não precisando inclusive da ajuda das lipoproteínas quilomícrons e do sistema linfático, para o seu transporte.

O nascimento das Lipoproteínas.

Na mucosa intestinal, após a absorção da gordura, o colesterol e os ácidos graxos da gordura da dieta são agrupados novamente para formarem os triglicerídeos, e ésteres de colesterol que formaram futuramente no sangue o interior dos lipoproteínas quilomícrons.

Essa mesma mistura, agora devidamente em volta, liga se com uma nova combinação de proteínas passando a constituir assim a camada envoltória das lipoproteínas quilomícrons. Esta forma assim a lipoproteína quilômetros, um mês de transporte da gordura da alimentação no sangue, sendo a sua fração mais pesada constituída por triglicerídeos.

Uma vez no sangue e na linfa, as lipoproteínas quilomícrons recebem e capítulo na sua estrutura novas proteínas provenientes das lipoproteínas já no sangue sob a ação da enzima lipase lipoproteica encontrada nos tecidos. Extra hepáticos o núcleo 22 quilômetros formado por triglicerídeos. E fragmentado liberando-se então ácidos graxos livres ou então ligados à proteína albumina.

Fígado A usina produtora de gordura

Os triglicerídeos endógenos são continuamente formados no fígado à custa dos ácidos graxos livres e outros precursores não lipídicos. Se a fabricação hepática de triglicerídeos exceder as necessidades energéticas do corpo, então uma fração desta produção terá de ser eliminada do fígado para evitar a infiltração gordurosa deste órgão.

E é assim que surge ali proteína sua molécula é formada no fígado sendo constituída por proteínas e triglicerídeos no sangue após a captação de mais proteína proveniente de proteína vai sofrer a ação da lipase e fragmenta-se os triglicerídeos em ácidos livres ou então em ácidos graxos ligados a Albumina. A fração remanescente da lipoproteína, por processos não bem determinados, transforma-se na lipoproteína perdendo então o restante de seus triglicerídeos e todas as suas proteínas com exceção da proteína chamada a folha ou proteína.

 

 

Informações pertinentes

 

Conscientizando a população.

Sabe-se que a população ingerindo dietas ricas em hidratos de carbono (plantas alimentares fibras frutas cereais não refinados) possuem usualmente uma menor incidência de arteriosclerose coronariana, desde que exista concomitantemente diminuição da gordura e o colesterol dessa dieta.

Tabela da saúde.

Acredita-se que somente com largas quantidades de sacarose (açúcar refinado) possa existir uma leve ação hipolipidêmica (que aumenta os lipídios), sendo o fenômeno muito mais acentuado nos indivíduos com excesso de triglicerídeos. Para os pacientes obesos com hiperlipidemia é medicamente importante reduzir a sacarose e outros açúcares simples da dieta. O açúcar se constitui numa fonte concentrada de calorias.

A sacarose, como a gordura e o álcool, pro ver somente “calorias frias” já que não possui de forma associada nem proteína, fibras, minerais ou vitaminas, como ocorre comumente nos alimentos não refinados (legumes, cereais, vegetais, frutas). O tratamento de qualquer tipo de hiperlipidemia (excesso de lipídios no sangue) deve começar pela redução do excesso de adiposidade (tecido gorduroso).

E são podemos atingir esse objetivo pela ingestão calórica diminuída, que se faz através da redução dos açúcares simples e com aumento respectivo e simultâneo dos carboidratos complexos derivados da os cereais, feijão, vegetais folhas, frutas,legumes. Nesse caso especificamente a quantidade de sacarose açúcar refinado deve ser reduzida substancialmente de 20 a 10% do valor calórico total da dieta.

Excesso de Triglicerídeos e obesidade

A hipertrigliceridemia está frequentemente associada com obesidade, com aumento dos níveis circulares de insulina e com intolerância à glicose a obesidade é um fator agravante em muitos pacientes com aumento da lipoproteína, como os pacientes com intolerância à glicose consequentemente o primeiro passo na terapêutica do paciente obeso. Com hipertrigliceridemia endógena é o mesmo atingir o peso do ar ideal desde que a restrição calórica pode produzir uma redução dramática nos triglicerídeos do sangue é muito importante reavaliar o hidro grama após a estabilização do peso não só o intestino como também o fígado fabricam vldl lipoproteína que carrega triglicerídeos.

Os maiores precursores da síntese dos triglicerídeos no fígado são a glicose e os ácidos graxos Livres não é surpreendente então que em pessoas normais e pacientes com hiperlipoproteinemias, aumento das gorduras desenvolva altos níveis de vldl a custa de uma alta ingestão de hidratos de carbono açúcar embora a ingestão de carboidratos seja normalmente acompanhada por um aumento dos triglicerídeos alguns pacientes mostra uma grande sensitividade ao carboidrato resultando.

Em um nível maior e persistente de triglicerídeos no sangue a dieta destes indivíduos indivíduos deve ter uma restrição de hidratos de carbono além da restrição obrigatória da ingestão de álcool, já que o mesmo afeta o metabolismo metabolismo dos ácidos as coisas livres e do metabolismo dos triglicerídeos.

A insulina e antagonizada patologicamente nos tecidos periféricos tanto nos indivíduos com excesso de triglicerídeos no sangue como na obesidade níveis aumentados da Ilha insulina circulante observados em diabéticos adultos e obesos, causam uma super produção das lipoproteínas vldl que transportam triglicerídeos fabricados pelo fígado.

À medida que a produção de insulina vai se tornando deficiente como é o caso do diabetes a produção hepática de triglicerídeos vai se diz mostrando insuficiente e capaz de remover os triglicérides em excesso do sangue.